Acidente Vascular Cerebral

O AVC (Acidente Vascular Cerebral) resulta da restrição de irrigação sanguínea ao cérebro.

Quais as principais sequelas do AVC

Existem cada vez mais pessoas a serem afetadas pelo AVC (acidente vascular cerebral), uma doença muito perigosa com uma elevada taxa de mortalidade a nível mundial. Este acidente, vulgarmente conhecido por derrame cerebral, consiste na perda rápida da função neurológica, esta perda pode ter duas origens ou o entupimento ou o rompimento dos vasos sanguíneos cerebrais. Quando se trata do entupimento dos vasos sanguíneos está-se perante uma isquemia, originando um AVC isquémico, quando existe rompimento dos vasos então existe uma hemorragia, dando lugar a um AVC hemorrágico.

O AVC hemorrágico possui uma maior taxa de mortalidade, por isso é o mais perigoso dos dois tipos, contudo é importante realçar que a nível de sequelas futuras do AVC este é o que causa menos danos. Isto acontece porque neste caso apesar de existir uma inundação de sangue no cérebro, a longo prazo esse sangue vai ser absorvido e causa menos sequelas, para que isto aconteça é muito importante que seja diagnosticado da melhor forma e o mais rápido possível. Ao contrário do AVC hemorrágico, o AVC isquémico possui uma taxa menor de mortalidade mas as suas sequelas podem ser irreversíveis, ou seja, como o cérebro vai ter um défice grande de oxigénio durante segundos, podem morrer muitas células e por isso os danos podem ser graves e definitivos, a única forma de evitar este tipo de danos é tratar o mais rápido possível o AVC.

Sequelas do AVC

Alguns pacientes que foram vítimas do AVC não apresentam sequelas algumas quando a circulação sanguínea é retomada normalmente, contudo isto só acontece quando tudo volta à normalidade muito rapidamente, acontecendo a uma percentagem muito baixa de pacientes.

As sequelas dos AVC’s assim como a sua gravidade vão depender do local onde o AVC aconteceu, assim como a sua gravidade e o tempo que resposta ao acontecimento. É importante que todas as pessoas estejam familiarizadas com os principais sintomas desta doença, com o intuito de mal se apercebam dos primeiros sinais tomem as devidas precauções e chamem o mais rápido possível a emergência médica.

De paciente para paciente as sequelas vão variando assim como a gravidade das mesmas, assim sendo existem algumas sequelas principais que de forma geral acontecem frequentemente. As sequelas podem ser de três géneros: emocionais, neurológicas e motoras.

Sequelas motoras

As sequelas motoras são as mais comuns e que aparecem com mais frequência, sendo que por norma são caraterizadas pela paralisia de um dos lados do corpo. É importante relembrar que o hemisfério direito comanda o lado esquerdo do corpo e o hemisfério esquerdo comanda o lado direito, logo se o AVC afetar o hemisfério esquerdo será o lado direito do corpo a ficar paralisado. As sequelas motoras englobam não só a paralisia total de um dos lados do corpo, mas também a parcial, ou seja, existe uma grande dificuldade em movimentar esse lado do corpo.

Sequelas neurológicas

Quando uma pessoa é afetada por um AVC, o cérebro vai ficar afetado e dependendo da zona onde ocorreu o acidente poderá ter imensas sequelas a nível neurológico, sendo que a mais frequente é o paciente ficar com a boca torta. Sendo que as principais sequelas neurológicas são: perda de memória (podendo ser definitiva ou não), dificuldade em se expressar, dificuldade em falar, comer, engolir a própria saliva, paralisia facial, desequilíbrio, dificuldade na localização espacial e ainda uma sensação como se o lado em que está paralisado estivesse constantemente a ser queimado.

Sequelas emocionais

As sequelas emocionais poderão ser as mais complicadas de ultrapassar, não na questão médica mas sim na questão pessoal, isto porque depois de sofrer de um AVC poderá ter entrar numa fase menos boa da vida. No grupo das sequelas emocionais engloba-se a depressão, impaciência, dificuldade nos relacionamentos, isolamento, revolta, e por ultimo a negligência do lado do corpo que está paralisado. Este grupo necessita de uma grande atenção quer por parte médica quer por parte dos familiares.